Perda de colágeno e flacidez

03/09/2019

O colágeno é uma proteína existente no corpo, ou seja, o próprio organismo do ser humano é responsável por produzi-lo. Ele age como um aliado na prevenção do envelhecimento por garantir a firmeza da estrutura da pele. Com isso, ele cuida do funcionamento do corpo por dentro e reflete na beleza por fora. Além da relevância para a pele, a função do colágeno também ajuda a prevenir doenças como artrose e inflamação nas articulações.

Mas, conforme as pesquisas indicam, apesar da proteína ser produzida pelo nosso organismo, os níveis de colágeno na pele, ossos, cartilagens e outros tecidos diminuem com o tempo. Ao atingir 25 anos, as pessoas perdem em torno de 1% de colágeno por ano. É por isso que, por volta dos 30 anos, é normal que a pele comece a ficar mais flácida.

É importante citar também que o consumo elevado de açúcar e o tabagismo são práticas que também contribuem para a perda de colágeno. Logo, se você quer evitar rugas, celulites, linhas de expressão e aspecto de flacidez, busque fontes que estimulam o colágeno para a pele.

Como prevenir e cuidar a queda de colágeno na pele?

Os jovens que ainda não atingiram a idade em que o organismo diminui a produção de colágeno não precisam se preocupar. Podem utilizar a alimentação como caminho para obtenção da proteína. Os alimentos mais indicados são os ricos em proteínas, como carnes brancas e vermelhas, e também alimentos ricos em vitamina C, como limão, laranja e mamão.

O uso de protetor solar diariamente também é um grande aliado para prevenir a queda de colágeno na pele, pois o sol é o maior causador de envelhecimento prematuro.

Praticar exercícios físicos é essencial para manter o processo de produção natural do colágeno no organismo. Isso porque, ao se exercitar, você ativa as células produtoras da proteína, conhecidas como fibroblastos.

Já a partir dos 30 anos, a perda de colágeno é inevitável. Portanto, além dos cuidados citados acima, os tratamentos estéticos atuam como grandes aliados para os cuidados dessa fase.

A radiofrequência, além de combater a flacidez, auxilia na perda de gordura localizada e promove, ainda, o rejuvenescimento da pele por meio da aplicação de ondas eletromagnéticas, produzindo um calor que contrai as fibras de colágeno e estimula o corpo a produzir novas fibras, sendo especialmente indicada para reduzir a flacidez facial e corporal.

Como em quase todos os procedimentos estéticos, nesse também existe uma preocupação se é um tratamento doloroso. Alguns clientes podem ter uma sensação de aumento da temperatura nas regiões tratadas. Porém, existe um sistema de resfriamento incorporado ao equipamento no qual é acionado durante a aplicação, evitando que a sensação seja dolorosa ou desconfortável.

Os resultados da radiofrequência são rápidos e progressivos, podendo ser observados logo após as primeiras sessões – especialmente na região do rosto, ao redor dos olhos, boca, queixo e pescoço, onde um efeito lifting ocorre imediatamente após a primeira aplicação.

Outro tratamento estético que podemos citar é o carboxiterapia, que estimula a produção de colágeno e elastina, responsáveis pela formação da pele através da infusão de gás carbônico em diferentes camadas da derme. Ela atua na dilatação dos vasos sanguíneos promovendo a melhora na irrigação de sangue nos tecidos. Os seus benefícios são: combate estrias, flacidez, melhora a celulite e o aspecto da pele, alivia as olheiras, regenera os tecidos e melhora a circulação sanguínea.

Portanto, a boa notícia é que cada vez mais estamos evoluindo em tratamentos para ajudar a combater os sintomas de nutrientes que vamos perdendo ao longo do tempo. O importante é saber qual o melhor para você.

WhatsApp chat